Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

24 de mai de 2015

Está Lá...

Mais uma narração especial. Como sempre, trago o texto abaixo, mas espero que gostem do vídeo xD

Por: Le Mohamed Aki

     
   A primeira vez que vi um deles foi há quase vinte anos, quando entrei na ala dos pacientes com Catherine, a enfermeira incumbida de me treinar. O paciente estava deitado na cama, de olhos fechados, com peito subindo e descendo lentamente. Enrolada em volta do pescoço e caindo sobre o ombro esquerdo estava uma coisa negra, esguia, tipo uma cobra, que parecia ser composta de sombras que tinham, de alguma forma ganhado vida.

   Eu fiquei tenso imediatamente, quase deixando cair o copo de medicação na minha mão. Precisei de toda minha força para não gritar. A única coisa que me fez parar foi a mão de Catherine, calma, no meu ombro. Quando me virei para ela, o olhar em seu rosto disse mais do que qualquer expressão que eu tenha visto antes ou depois. "Se eu tivesse avisado antes," aquele olhar dizia: 'você não teria acreditado em mim. Está lá ... Mas é melhor você agir como se não estivesse. "

   Desde aquele dia eu tenho visto mais deles do que eu posso contar. Sempre nos quartos de pacientes terminais. E sempre três dias antes de o paciente morre. Eles aparecem nos cantos escuros, movendo-se lentamente para mais perto a medida que a hora chega.

   Ao longo dos anos tenho começado a aceitar essas criaturas como uma coisa da vida, nunca questionando o seu propósito ou origem. Principalmente por causa do medo. Mas agora, estas são perguntas que devo fazer. Porque, enquanto escrevo isto, estou vendo um deles mover-se do espaço debaixo da minha cômoda para a mesa de cabeceiro, perto da minha cama.

   Eu não entendo.

NES Godzilla - Dementia

Quando voltei ao jogo, eu estava ficando muito incomodado e confuso.

Pensava no jeito do mostro olhar para mim.

O jogo NÃO PODIA ter ouvido o que eu disse, isso é impossível. Isso tinha que ser uma ocorrência aleatória. Mas porque isso aconteceu justamente no momento que eu insultei o monstro?

Nada nesse jogo fazia sentido. Os novos monstros do Godzilla, as estranhas substituições dos monstros, imagens fora de lugar (como os templos verdes), níveis de quiz, e as perseguições do monstro vermelho.

Isso tudo não acrescentava nada de qualquer modo.

Se fosse uma pegadinha, não seria engraçado em sentido algum, e eles claramente pegariam mais leve com isso.

Se eles estavam tentando fazer uma sequência genuína com novos monstros do Godzilla, então por que eles adicionariam mais monstros?

Talvez fosse algum tipo de arte experimental? Algum projeto de grupo feito por uma porrada de gente realmente talentosa e louca, e eles haviam perdido o jeito? Ou talvez eles tinham a intenção de uma pessoa aleatória encontrar isso?

Tudo aquilo era muito improdutivo. De longe eu diria, que só tinha um jeito de lidar com o jogo, que era: Jogar até o fim. Talvez, apenas talvez, tivesse algo nos créditos, uma explicação dos criadores, do porquê fizeram isso.

Ou isso tudo podia ser algo muito mais crítico e estranho, talvez algo muito mais horrível.
Antes de eu dar uma boa olhada no mapa de Dementia, considerei jogar Trance novamente para ver se o monstro vermelho olharia para mim novamente. Mas fui contra isso.

Eu queria continuar me movendo progressivamente, mas também estava meio preocupado que voltar atrás no jogo pudesse causar algo ainda mais estranho.

A música do mapa de Dementia soou muito como a música de Saturno, exceto pelo fato de que foi desacelerada, e tocada com um instrumento com o som de piano. Como a maioria desses novos temas, ela tinha um sentimento perigoso de suspense.

Enquanto escutava a música, olhei para o mapa de Dementia. Haviam quatro chefões monstros dessa vez: SpaceGodzilla, Manda, Gigan e Baragon. Eu estava surpreso que alí estavam dois novos monstros do Toho dessa vez. Mas a melhor surpresa ainda estava por vir.


Comecei o nível de Quiz. Aqui está outra lista, no mesmo formato da primeira:

Quiz 2
  1. Você pode nadar?
    Resposta: Sim, Reação: Feliz
  2. Gosta de peixe?
    Resposta: Sim, Reação: Enjoado
  3. Pinguins podem voar?
    Resposta: Não, Reação: Triste
  4. Isso pode girar em todas as direções?
(Não havia nada esclarecendo o que “Isso” significava, então eu chutei)
Resposta: Não, Reação: Surpreso
  1. Você respira oxigênio?
    Resposta: Sim, Reação: Cara estranha #8
  2. Quando você morde uma mulher, o gosto é bom?
(Não sei quem criou essa pergunta, mas espero que tenha buscado ajuda psiquiátrica)
Resposta: Não, Reação: Irritado
  1. Está de noite aonde você está?
    Resposta: Sim, Reação: Cara estranha #6
  2. Você gosta de gatos?
    Resposta: Sim, Reação: Confuso
  3. A água é molhada?
    Resposta: Sim, Reação: Bravo
  4. Você já quebrou algum osso?
    Resposta: Não, Reação: Feliz
  5. Você gosta do seu emprego?
    Resposta: Sim, Reação: Dor
  6. Você gostaria de um novo monstro?
    Resposta: Sim, Reação: Cara Estranha #11
Não estava muito certo dessa vez, sobre o que a Cara dizia com “novo monstro”, mas eu não podia resistir à responder “Sim”, só para ver o que iria acontecer.

O resultado foi impressionante.

O jogo me levou de volta para o mapa e eu tinha um novo monstro jogável na forma de Anguirus! Desde criança, eu sempre quis jogar como Anguirus, até porque ele era meu segundo monstro favorito (E também, que eu nunca gostei do Mothra).

Eu movi minha nova peça, do Anguirus, para cima do nível próximo à ele, quente para testar meu novo monstro.

Antes de eu entrar na descrição do nível, irei falar sobre Anguirus um pouco:

Usando os botões de cima e baixo, você podia escolher entre Anguirus em sua forma bípede ou rastejando em quatro patas. Não fazia grande diferença, mas estando hábil para ficar de pé era útil em lutas com chefões, e rastejar ajudava a desviar de ataques e obstáculos.

Ele podia chutar e socar como Godzilla, mas sem chicote de cauda. Em vez disso, ele tinha algo que de longe era mais interessante: A habilidade de se fechar em uma bola espinhosa da morte e girar pelo mapa. Você ainda podia tomar dano, mas era amenizado. Isso foi útil para limpar estágios inimigos, mas infelizmente, fazer isso também drenava a barra de energia.

Mas a bola espinhosa não era a única habilidade especial dele. Quando você apertava “Start”, ele atirava um laser de energia de sua boca. Me lembrava o ataque de sonar do Titanossauro, e se tinha algum hack, foi inspirado no ataque do rugido dos jogos de luta do Godzilla, no Atari.

Outra nota, é que quando jogava com Anguirus, o contador do nível ficava bugado. Jugando pela barra de vida e da barra de poder, eu diria que ele estava no nível 10.

Agora, ao nível:

Como você deve ter percebido pelo ícone do nível, esses níveis tinham versões verdes dos blocos do chão e o background das montanhas azuis. Mas o que imediatamente prendeu minha atenção, foi a água, que tinha um efeito de transparência.

Isso era mesmo possível para um jogo do NES? Eu sabia que o Super Nintendo podia fazer isso, mas nunca ví um efeito de transparência num jogo do NES.

A música das montanhas verdes era tocada com o mesmo instrumento das montanhas azuis, mas a melodia era totalmente diferente. Era uma canção muito simples com um monte de pausas abruptas seguidas por uma nota alta á cada poucos segundos.

Todavia, eu passei pela borda fina do nível. E ainda não haviam monstros nem nada, mas em breve, eu cheguei em um abismo sobre a água.

Não havia mais para onde ir sem ser para dentro d’água, então desci. A transparência d’água fez as coisas um pouco mais difíceis de se ver, mas era tolerável. Após ir por baixo d’água, eu encontrei dois inimigos gigantes: uma piranha gigante e algum tipo de verme espinhoso das profundezas. Gostei da piranha, pois eu facilmente podia dizer o que era.

Era o são design dos inimigos que devia aparecer no jogo real, e ali tinham pouquíssimos inimigos como esses.

Eles não tomavam muitos hits para serem mortos, mas eram bem irritantes, e podiam consideravelmente sugar sua vida se você chegasse perto demais. Eles também tendiam a trabalhar e andar em conjuntos.

E os vermes das profundezas, eram fáceis de se lidar. Eles nadavam junto ao fundo da tela, em direção a você, e eram facilmente esmagados com o ataque giratório ou um pulando em cima deles. Nessa screencap você pode ver que eu estava para correr em cima deles, e havia um monte de piranhas atrás deles.

Após passar daquele nível, movi o Godzilla até o ícone do castelo azul. Eu comecei o nível e então vi uma tela de título, com o texto “INESQUECIVELMENTE FRIO”.


O nível, por si só, parecia a masmorra de um castelo feita de tijolos azuis com linhas de idênticas estátuas com a cara branca nas paredes. Essas estátuas tinham um olhar permanente de terror em suas faces.

Havia ali também, alguma estática cinza, que não obscureceu minha visão, mas adicionava algo inconfortável ao humor desses níveis. A música era um loop de vinte segundos de um coro baixo e choramingado, que soou muito familiar para mim.

Seja lá quando eu joguei por um desses níveis, eu tive esse repentino, horrível, sentimento de ansiedade. Eu tive o sentimento de que o quanto mais eu avançava pelo nível, mais perto eu ficava de algo indizivelmente mau.

Não haviam inimigos, mas esse era um dos níveis mais longos do jogo. Eu apenas joguei um nível, mas levou sete minutos para completar.


Eu não queria admitir isso para mim mesmo naquele momento, mas percebi algo enquanto jogava o nível do castelo azul: Esse jogo tinha o poder de fazer o jogador sentir certas coisas.

Não digo no sentido de que você ficaria irritado jogando um jogo assustador, ou nervoso por algo assustador no jogo. O que eu disse, é que certos eventos nesse jogo podem instantaneamente fazer você começar a sentir algo.

Eu sei que isso soa completamente insano. Eu não te culpo por não acreditar em mim, eu nem mesmo acredito nisso, mesmo jogando esse jogo. Mas têm algo muito, muito, muito errado com esse jogo, e eu ainda não sei como explicar isso.

Então... era hora de lutar com o substituto de Baragon.

Apesar de Baragon ser originalmente o menor monstro no jogo, sua substituição foi a maior. Ele era tão alto, que o “chão” foi perceptivelmente rebaixado, e a cabeça do “Não-Baragon” ainda quase colidia com a barra no topo da tela. E ele era mais bizarro do que grande.

Você deve estar se perguntando como ele ataca sem os braços. Bem, ele tem o chute mais poderoso do jogo. Mas sua outra técnica de luta é muito maior.

Primeiro ele atira uma nuvem de pixels em você, o que te faz congelar, então ele volta para o canto da tela e... Extende uma enorme arma com gatilho de seu abdômen.
 
Deve parecer divertido para você, mas não foi para mim quando eu estava jogando. Esse ataque era mais irritante que a serra de Gigan, e o “Não-Baragon” podia ser inderrotável se ele constantemente usasse isso. Graciosamente, ele apensa fez isso duas vezes, enquanto lutava com ele.

Quando você se descongela, você pode correr e começar a dar dano na arma, que causa dano extra a ele. Isso me ajudava à destruí-lo e então era hora de jogar o terceiro tipo de nível. Decidi que eu iria usar Anguirus para lutar com Manda e Gigan, e então lutaria com o SpaceGodzilla como o Godzilla (era o único que combinava).

Antes de passar pelas batalhas, irei descrever o estilo do terceiro nível: O Ártico.

O Ártico é exatamente o que você adivinhou do nome, uma tundra gélida com poucos segmentos aquosos.

A música me lembrou um pouco de “Northern Hemispheres” do Donkey Kong Country, em forma de 8-bit. Um som muito perigoso, que me fez pensar em estar preso em uma tundra e congelar até a morte.

Haviam dois novos inimigos nesse estágio. O primeiro era uma criatura congelada num bloco de gelo. Ela bloqueia seu caminho e você têm que usar seu raio de calor para tirá-lo do gelo. Eles pareciam uma versão menor do “Não-Gezora” com apenas um olho.

Quando livres, elas fazem um movimento estranho, de rastejar, e te empurra para trás. Não causa nenhum dano, mas é um pouco irritante.

Após lidar com o homem do gelo, continuei andando por um minuto ou dois e veio à tona um segmento de água. Pulei dentro, e dessa vez tratei de tirar uma screencap mostrando como a água espirra quando você pula dentro dela. Não sei como eles programaram aquilo, mas é muito impressionante. Outra coisa interessante é como a tela muda de foco quando embaixo d’água.

Aqui você pode ver o outro novo inimigo, uma coisinha que chamo de “andarilho espinhoso”. Eles caminham até você e explodem aleatoriamente (ou instantaneamente) se você os atacar, mandando espinhos em todas as direções. Eles não dão muito dano, mas eles ficam perigosos quando você está perto de um poço.



Oh, por falar em poços: Embaixo d’água, o jogo tinha um elemento de plataforma: poços sem fundo. Eles não eram nenhum dos originais do jogo, desde que era estritamente uma ação do jogo, mas os poços foram uma adição precisa.

Após de voltar para o chão. Encontrei um mini chefe inesperado: Maguma, o leão marinho Kaiju. Eu sabia que o jogo tinha uns monstros obscuros para se começa. Mas wow. Não estou reclamando, foi um cameo muito legal para um Kaiju não apreciado.

As táticas de luta do Maguma eram muito simples. Ele tinha um raio congelante, e ele podia atirar em você. Não muito desafiador, mas certamente mais legal que o mini-chefe Matango, no jogo original.

Uma coisa realmente interessante sobre o Maguma, é que ele não morre quando você o derrota, apenas se vira e se recolhe. Essa foi a primeira vez que eu já vi um monstro mudar de direção e se recolher. Tentei depois correr atrás dele, mas ele desapareceu após eu entrar na água. Pobre bastardo.

E isso foi no Ártico, falarei mais sobre a luta com Manda agora.

Esqueci de mencionar antes, mas a música tocada durante as lutas com os novos monstros eram temas reutilizados do jogo.

De longe os temas eram:

Titanossauro: Música do Gezora
Biollante: Música do Hedorah
Orga: Música do Baragon/Moguera
Manda: Música do Varan
SpaceGodzilla: Música do Mechagodzilla


Na luta, manda era um oponente muito minucioso. Quando percebia que uma tática era não efetiva, ele mudava imediatamente para outra.

Manda usou pouquíssimos truques, como cuspir fogo, morder, e o mais irritante de todos, o ataque constritor.

Isso não drenava sua vida impiedosamente como as serras do Gigan, mas era de longe o mais forte ataque de Manda.

Uma última coisa para se notar (que eu achei muito legal) era que o Atragon apareceu na luta para me ajudar. Manda o esmagou sem dó, mas ainda foi legal.

Após eu derrotar Manda, eu joguei por um nível do Ártico para pegar vida e “Power-Ups” e então eu estava com o substituto de Gigan. Quando a luta começou, eu estava muito confuso, pois não havia nada ali. Achei que isso seria como a luta com o Titanossauro, em Pathos, mas quando voltei para o mapa, uma piranha apareceu na tela.

Mas isso não foi por muito tempo. Quando ela apareceu, os auto falantes emitiram um barulho ensurdecedor, e o “Não-Gigan” voou e rasgou o pobre peixe em pedaços.



Bem, era só mais um jeito de fazer o jogador ficar aos seus pés. A entrada abrupta me assustou para caralho e então eu tive uma descarga de adrenalina. O que em retrospecto, foi bom, pois o “Não-Gigan” era um dos oponentes mais rápidos e inquietos do jogo.

O “Não-Gigan” era esperto, mas minhas novas habilidades com o Anguirus me ajudaram no placar. Era ainda assim uma luta intensa! Os seus ataques consistiam em algum tipo de laser de sangue que ele cuspia pela boca, e uma serra de guarda. Eu esperava alguma variante infernal da serra-buzina, mas felizmente não tinha uma.

O ataque esférico era inválido quando tentava derrotar ele. Eu tiraria mais screencaps da luta, mas eu tinha que me concentrar.

Após isso, só tinha um monstro à ser derrotado: SpaceGodzilla. Como mencionado antes, eu usei Godzilla para essa luta.

A técnica de luta do Godzilla era bem frustrante, mas me deu uma ótima ideia.

SpaceGodzilla iria usar sua energia para criar dois cristais voadores, que quando tocavam o chão viravam espinhos cristálicos.

Esses espinhos não apenas o impediam de chegar ao SpaceGodzilla, mas também o permitia recarregar a energia, e atirar um laser coronário até você quebrar os espinhos.
 


SpaceGodzilla iria eventualmente drenar seus próprios espinhos de energia até eles derreterem, mas se você esperasse isso acontecer, você provavelmente perderia muita vida. Lasers de calor atualmente pareciam regenerar os espinhos, então você tinha que usar ataques físicos.

Quando você finalmente ficava perto o suficiente para bater no SpaceGodzilla, ele não te empurrava. Quando eu soquei ele, ele me bateu muito forte. SpaceGodzilla não fazia de tudo usando seu poder para te socar para o canto da tela, então ele podia criar mais estacas.

Quando acabou. Eu apenas tinha cinco barrinhas de vida sobrando. Mas isso não interessa, pois eu não precisava lutar mais. Eu precisava correr.

E lá vamos nós. Eu decidi que eu queria realmente ver o final desse jogo. Por mais assustador que esses níveis pudessem ser, eu tinha que passar por eles para seguir à diante.

Eu decidi que não importa o que acontecesse, não importa o que o jogo me mostrasse, eu iria ir até o final. E também não diria uma palavra sequer enquanto jogava os níveis de corrida daqui para frente.

Para essa corrida, eu tentei o Anguirus, desde que seu ataque giratório me permitia mover mais rápido que Godzilla ou Mothra. Essa corrida começou como as outras duas, exceto pelo rio de sangue no chão. Eu estava começando a me enjoar disso, e a velocidade extra da bola me ajudou a dar uma perdida de vista no monstro. Especialmente desde que eu não tinha que me preocupar com o poder limite, e podia continuar rolando infinitamente.


Como os níveis anteriores com água, o chão inevitavelmente chegou ao fim. Então eu rolei para o sangue. Para minha surpresa, a besta infernal não me seguiu após isso, ela apenas parou na beira do abismo e resmungou “Eu não posso nadar” (Pensei para mim mesmo).

Então eu fui “sob o sangue” e continuei me movendo. Não havia nada em volta, mas eu sabia que algo iria acontecer. A corrida não iria acabar tão cedo e fácil assim, iria? Certamente algo deveria acontecer. E certamente, eu escutava o rugido se aproximando, com um som levemente diferenciado...

... E o monstro estava me seguindo com um novo corpo, aquático! Eu não fazia ideia de que ele era um metamorfo. Após ele aparecer, a caçada ficou na dificuldade que eu já esperava. Sendo submergido para cima e para baixo, me colocando na mesma velocidade que a besta.

A única coisa que me mantinha vivo era o rápido pensamento e reflexos.

Eu encontrei uns poços sem fundo, dos quais minas surgiam, flutuando. Eu percebi que se você atingisse uma, isso te daria dano e te rebateria de volta. Considerando o quão rápido o monstro vermelho nadava, atingir as minas causaria morte instantânea, então fui com grandes esforços para evita-las.

Mas não era de tudo eu devia estar ciente. No meio do caminho, a besta infernal revelou uma outra surpresa: um tentáculo em forma de intestino e feito com um monte de presas queimadas, saindo de sua boca, tentando me empurrar e me devorar. Eu apenas desviei-me dos tentáculos e das minas, mas eu podia dizer que a besta estava ficando desesperada, pois a caçada estava perto do fim.


E após um minuto depois, eu cheguei num pedacinho de chão que serviu como saída. Eu saltei com toda força que pude (sem quebrar o controle). A besta gritou com fúria e pulou do rio de sangue em uma última tentativa de me arrastar para, mas escapei por pouco.

Dessa vez.

Eu caí para trás na cama e dei uma respirada profunda, satisfeito com outra fuga bem-sucedida.
Agora eu estava diante do quinto mundo: Entropia.




23 de mai de 2015

LIVE ESPECIAL DE SÁBADO


Estamos de volta. LIVE DE SÁBADO, com contos, lendas, teorias, e muito bate-papo com vocês.

link: https://www.youtube.com/watch?v=rf8JOiSz83s



Acho que meu marido fez alguma coisa com um dos gêmeos ** FINAL**

Veja as 7 primeiras partes aqui:






PARTE VI

FINAL PARTE I

_________________________________________________________________________________

Fui levada ao hospital enquanto via Phillip sendo fechado num saco preto. Henry ficou em observação durante a noite toda enquanto minhas feridas eram tratadas. Passei horas na sala de emergência sendo fotografada, costurada, tomando soro, analgésicos e, finalmente, um detetive veio falar comigo.

"Conte-me tudo o que aconteceu, senhora. Desde o início." O detetive mais velho e grisalho abriu um bloco de notas em espiral. Se não fosse por seu tom de voz, eu teria pensado que ele era um sósia de Andy Sipowicz.

Eu mergulhei na história, explicando como meu falecido marido estava chateado por eu não ter ficado grávida de novo e fez uma consulta com o Dr. Keats. Ele queria me encher de Clomid contra a minha vontade, então eu poderia engravidar novamente. Isso era verdade, tínhamos pegado a prescrição a caminho de casa. Nós tínhamos começado uma discussão, e que tinha se tornado violenta quando eu me recusei a tomar o remédio. Ele me bateu no escritório antes que eu fosse capaz de encontrar a arma e atirar em seu joelho e chamar a polícia. No entanto, ele me agarrou pelos cabelos, desligou o telefone, e derrubou a arma da minha mão. Depois de me empurrar no armário, eu consegui pegar a arma e atirar fatalmente.

"Por que ele desligaria se soubesse que você estava no telefone com a polícia?" Perguntou o detetive, tocando a caneta contra a sua boca franzida.

"Não faço ideia. Tudo o que posso dizer é que eu pensei que ia morrer. Quando posso ir para casa e pegar meu filho de volta?" Eu esfreguei um áspero lenço de papel hospitalar em meus olhos, um deles estava começando a fechar com o inchaço.

"Precisamos terminar a análise da cena do crime em primeiro lugar."

"Por que você está chamando de cena de crime? Foi legítima defesa! Eu não sou advogada, mas sei que sob as leis de legítima defesa de Massachusetts eu estava em perigo iminente, não estava infringindo a lei." Comecei a chorar de novo; puxando a agulha que levava o soro até meu braço, resmunguei que eu tinha que chegar a Henry.

"Senhora, senhora, acalme-se. É como nós sempre chamamos, tudo bem. Olha, você não está presa. Eu acredito em você. Eles encontraram o Clomid, e a cena coincide com o que você disse até agora. Mas sobre este Dr. Keats... ele sabia que você era contra o Clomid?"

"Ele nos disse que iria prescrever e o que faríamos com ele era da nossa conta. Mas ele sabia de minhas objeções, sim." Mais rabiscos no bloco de notas.

"Nós não conseguimos contatar o médico. Mas isso pode ser porque são onze horas da noite. Nós vamos continuar tentando." Ele fez uma pausa quando atendeu ao telefone. "Redgings falando. Ok, ótimo, parece bom. Sério? Interessante. Mantenha o seu telefone à mão, eu vou manter contato." Ele bateu o telefone e colocou-o de volta no bolso do paletó.

"Foram até a casa dele e falaram com o Dr. Keats. Ele está dizendo que ele não viu você hoje. Agora, a farmácia confirmou que eles pegaram a prescrição através de um telefonema de seu escritório no início desta tarde. No entanto, isso pode significar que ele simplesmente fez uma ligação. Ele pode ter ligado por qualquer outro motivo. Importa-se de explicar isso?"

Eu pensei novamente na consulta, tentando descobrir uma maneira de provar que eu estava lá. Então eu me lembrei que eu tinha acessado o Facebook brevemente durante a nossa visita, e que tinha acessado usando o Wi-Fi. Eu compartilhei este pequeno detalhe.

Os médicos queriam me manter no hospital durante a noite, mas eu vetei. Eu não poderia ver Henry até a manhã seguinte, no mínimo, e enquanto eu não tinha intenção de dormir na casa, eu também não tinha a intenção de manter Dr. Keats como uma ponta solta. Eu procurei por um hotel barato onde mulheres espancadas não mereciam muita atenção. Graças a registros on-line, eu sabia exatamente onde doutor Mengele morava, ficava a uns 45 minutos a pé de mim. Roubei um par de calças de brim masculinas e um moletom da área de "achados e perdidos" da lavanderia, andei o mais rápido que pude. Cada passo era uma agonia, mas me trazia literalmente a um passo mais perto de Jessica.

Finalmente, cheguei. Apesar do que os filmes nos querem fazer crer, não é possível escolher um fechamento com um grampo. São precisos dois. E se você sabe o que está fazendo (e eu sabia, já que meu falecido tio Jim era um serralheiro) é bastante fácil. Puxando os punhos do moletom sobre minhas mãos de modo a não deixar impressões digitais, eu girei a maçaneta. A casa estava em silêncio. Todo médico mantinha suprimentos em casa, Keats não era diferente. Arrastei-me por seu banheiro e acertei: seringas. Eu me perguntava por que diabos ele manteria seringas em sua casa, mas tanto faz. Esse não era o meu problema. Eu peguei, puxando o êmbolo completamente para trás.

Eu me movi lentamente pelo corredor e para seu quarto, onde aquele filho da puta tinha a audácia de estar dormindo profundamente. Eu encontrei vários frascos antigos de dilaudid no cesto de lixo ao lado da cama, o que respondeu por que ele tinha essas grandes seringas. Ele desenvolveu uma tolerância tão grande que precisava de muito mais para ficar alto. Não demorou muito para encontrar outro frasco fresco, que eu carreguei. Encontrando o local para a injeção fresca, eu esvaziei o resto nele. Eu, então, puxei o êmbolo para trás e esvaziei uma seringa cheia de ar diretamente em sua artéria radial algumas vezes. Embrulhei cuidadosamente os dedos sobre a seringa e frasco para evitar impressões digitais, eu sentei e esperei. Não demorou muito antes de meu empenho ser recompensado: O Anjo da Morte tinham se juntado a Phillip no Inferno.

Eu vasculhei seus arquivos pelo que pareceram horas antes de encontrar a papelada que eu precisava. Esse idiota manteve essa merda no arquivo? Bem, depois de décadas, eu suponho que você pense que você está acima da lei. Enchendo o meu sutiã com papéis, parti para meu quarto. A meio caminho de lá, eu joguei o tênis na rua depois de enchê-los com pedras. Eu contornei alguns sem-teto em um grupo, amontoados em torno de uma fogueira para se aquecer. Tirando fora os jeans e o moletom com capuz para revelar uma roupa comum por baixo, eu peguei uma velha lata de tinta spray. Eu encharquei a roupa com tinta e joguei-a no fogo, antes de recuar para a relativa escuridão que é Boston à noite.

Finalmente voltando para o motel, eu desmaiei. Acordei na manhã seguinte e olhei para os números verdes no relógio: uma e meia! Saltei da cama, joguei minhas coisas em um saco, e fui tomar banho. Esfreguei cada polegada de pele, não me importando o quanto isso doía. Fiz o check-out, e fui direto para a delegacia. "Estou aqui para falar com o detetive Redgings." Eu me estiquei, mantendo a postura, apesar da dor.

"Ele está esperando você?" Perguntou o funcionário confuso.

"Sim, diga-lhe que é Isabelle [em branco]." Um rápido telefonema produziu o clone de Sipowicz.

"Onde está Henry? Quando eu posso levá-lo? Eu estaria aqui antes, mas eu literalmente acordei a cerca de 45 minutos atrás, você pode ligar para o hotel. Eu fiquei na noite passada, eu acabei de fazer o check-out. Detetive, onde está Henry?"Eu estava chorando de novo, torcendo minhas mãos.

"Calma, ele passou a noite no centro médico. Vou ligar para eles agora e eles vão trazê-lo aqui para você. Eu acredito em você, além do mais, mesmo que não acreditasse - eu posso facilmente verificar a sua história. O funcionário da recepção, câmeras de segurança, GPS do telefone celular, todos eles vão me dizer se você está mentindo. Não se preocupe, porém, eu acredito em você." Ele bateu no meu braço enquanto ele telefonava para as pessoas que tinham o meu bebê.

"Existe alguma coisa acontecendo na... investigação?"

"Nós estaremos liberando o corpo do seu marido do necrotério para o enterro em breve. Assim que a investigação terminar, não oficialmente falando. Eu sei que na TV leva cerca de uma semana e está tudo feito, mas não é dessa maneira como o mundo funciona. No entanto, não precisa do Horatio Caine para ver que ele queria matá-la. Encontramos sangue, o que eu estou supondo que é seu, por todo o quarto, mas o dele foi encontrado apenas em um ponto. O que nos diz que ele bateu em você de um lado para o outro até que você esvaziou o revólver nele. Nós não apresentaremos qualquer acusação criminal.” Detetive Redgings deve ter visto muita coisa em sua vida, mas obviamente algo sobre mim tocou-o, se ele estava passando tantas informações.

"Estou feliz. Estou feliz, estou sobrecarregada, estou cansada, estou com raiva, estou com fome, eu estou com medo, estou cheia de dor, mas acima de tudo eu quero meu bebê. Eu só quero ter Henry em meus braços e então eu posso começar a resolver isso." Fui instruída a aguentar firme por um tempo, o que eu não tinha a intenção de não fazer. Em alguns minutos, Santo Redgings voltou com um pão cheio de requeijão e uma caneca de café, os bolsos cheios de sachês de açúcar. Assim que ele sentou de frente para mim, as lágrimas corriam pelo meu rosto para este pequeno gesto de bondade.

"Quando seu corpo entra em modo de luta ou fuga, ele desliga a parte do cérebro que regula o estômago e a fome. E em situações de alto estresse, nos esquecemos de comer- ainda estamos na luta ou fuga. Coma isso, mesmo que seja a única coisa que você coma durante todo o dia. Aqui está outra dica: comer coisas leves, comer coisas suaves. Você poderá vomitar em breve, é uma reação de estresse. Iogurte light ou biscoito sabor queijo é muito melhor do que frango com alho. Confie em mim." Eu balancei a cabeça enquanto mandava para baixo o pão, e engolia o café preto quente.

Olhei para fora com o canto do meu olho e vi Henry sendo trazido por uma assistente social. Bati a caneca para baixo e corri até ela, puxando-o para mim. Ouvi vozes misturadas no fundo, mas tudo que eu podia ouvir era verdadeiramente Henry guinchando de prazer quando ele estendeu a mão para meus brincos. Eu respirei seu cheiro de bebê, corri o dedo por suas bochechas moles. Eu olhei para cima:

"Você precisa de algo mais de mim?"

"Não agora, vamos chamá-la se precisarmos. Vá para casa." Eu peguei minha bolsa e fiz exatamente isso.

* * *

Esperei por três dias excruciantes antes que eu ligasse para o detetive de novo. Eu tinha que planejar isso direito para que eu não parecesse muito conveniente. Parte do que eu disse a ele era verdade: eu tinha encontrado documentos antigos de Phillip.

Quando ele chegou em casa, eu lhe apresentei os documentos furtados da casa do Dr. Keats, que descrevia quanto os Tobergs tinham pago por Jessica. Dr. Keats mantivera registros meticulosos sobre como ele foi pago, quando e quanto ia para cada um. Isso detalhava com quem ele falou, quando, e a conversa. Ocorreu-me que não porque ele pensava estar acima da lei - isto era insegurança. Se ele caísse, ele derrubaria todo mundo com ele. Inteligente, pequeno diabo astuto.

Expliquei como tinham dito que a minha menina tinha morrido ao nascer, que era algo muito mais fácil de engolir do que o que eu realmente tinha sido dito. Eu perguntei ao detetive quando estaríamos indo buscar Jessica.

"Isabelle, não podemos simplesmente ir buscá-la. Precisamos confirmar isso primeiro. A polícia diz que ele não atende ao telefone, então eles estão a caminho de sua casa no momento. Enquanto isso, eu tenho uma chamada para o chefe de polícia de Salisbury. Ele está falando com os Tobergs, e dependendo do que eles disserem, nós daremos nosso próximo passo." Eu me senti derrotada e vazia.

"Wisher, o que está acontecendo? O Quê? Ah, puta que pariu. Merda, o legista está a caminho? Bem. Eu estarei lá mais tarde, eu estou com a senhora [em branco] agora, mas eu vou contatar Ron, Dan, e Richard para chegar até aí e cuidar das coisas. Enviarei homens para seu escritório – bloqueie a rua até que terminem com a casa.” O detetive esfregou as têmporas e suspirou.

"Era o meu parceiro. Eles encontraram Dr. Keats,morto por uma aparente overdose de dilaudid. Wisher encontrou uma tonelada em sua casa, o cara provavelmente abusava de analgésicos prescritos antes mesmo de Oprah dizer a todos que isso dava barato. De qualquer forma, teremos a sua casa e escritório bloqueados até nós resolvermos essa merda toda."

Ele se levantou para sair, com promessas de manter contato. Ele não foi embora antes de me atualizar. Dr. Keats tinha registros sobre tudo. O advogado estava sob custódia. Ele não podia divulgar mais do que isso.

Quatro horas mais tarde: Os Tobergs confirmaram o que eu sabia que tinha acontecido com base na conversa entre Dr. Keats e Phillip anteriormente. O advogado havia dobrado como um terno barato. Os Tobergs tinha buscado base legal para tentar manter minha Jessica, que eles tinham chamado de Brianne. O promotor rapidamente informou que eles não tinham o direito legal sobre Jessica/Brianne, ela teriam que devolvê-la para mim.

Que porra faz com que você pense que pode ficar com o meu bebê? Não, ela foi arrancada de mim. Você é branco, rico e saudável. Não havia nenhuma razão para que você não pudesse ter ido através dos meios tradicionais. Você era o perfeito candidato - o perfeito, tão americano quanto torta de maçã e beisebol, de família tradicional. O promotor disse que estava considerando acusações criminais não só contra o advogado, mas contra os Tobergs também. Talvez eu devesse sentir simpatia como mãe, mas eu simplesmente não tenho isso em mim. Eles tinham comprado o meu bebê.

Eu agarrei o meu casaco, tudo pronto para ir buscar a minha filha. O promotor colocou a mão em meus braços, gentilmente me empurrando de volta a minha cadeira. Conley disse que, embora o caminho não fosse longo, apenas uma hora daqui para Salisbury, legalmente eu não poderia ser a única a ir buscá-la. Frases como "cadeia de custódia" foram atiradas para fora, e outros juridiquês que eu não entendia. Mas, a boa notícia foi que Jessica já estava a meio caminho para mim. Peguei minha bolsa e tirei minhas chaves.

"Isabelle, PARE! Onde diabos você está indo?" Conley gritou.

"Não. Grite. Comigo. Nunca. Eu estou indo para a Prudential, para que eu possa comprar um assento para carro. Eu só tenho o de Henry e como você pode ver, ele está usando. Então me processe, eu não acho que isso irá passar!" Coloquei jaqueta, curvando-me para pegar Henry.

"Ok, antes de tudo, a única loja de bebê é a Janie & Jack e eles não vendem assentos, apenas roupas de bebê. Em segundo lugar, é só usar o que ela está sendo trazida, pelo amor de Deus! Nós vamos deixar você levá-la, não vamos cobrá-lo por isso! Jesus, Maria e José, você acha que nós iríamos deixar você levá-la daqui sem um?" Conley olhou para o detetive Redgings que colocou o braço em volta de mim, me colocando de volta em minha cadeira.

Cerca de 30 minutos mais tarde, uma Jessica dorminhoca foi trazida para mim. Eu senti como se tivesse literalmente andado através dos abismos do inferno, queimado e chamuscado, mas me foi dado um bálsamo. Vendo a filha que foi roubada de mim acalmou a dor, aliviou os machucados e consolou minha alma castigada. Jessica parecia comigo quando bebê. Qualquer que seja o crime que os Tobergs eram culpados, eles tinham, pelo menos, mantido-a bem. Segurando-a em um braço, eu peguei seu irmão no outro e disse:

"Henry Sebastian, conheça sua irmã gêmea Jessica Nichole." A polícia tinha gentilmente trazido meu carro, e eu me virei para a multidão reunida dizendo:

"Meus filhos e eu estamos indo para casa."